VIVA A MORTE

Wordpress, Prestashop, Joomla, Drupal e outros com Domínio e Certificado Grátis
VIVA A MORTE

MORTE

      VIVA A MORTE... 

Eu sei que esse título pode parecer bizarro e desmotivador. Principalmente se considerarmos que meus artigos têm o propósito de elevar o estado de espírito das pessoas.

Pois bem, o propósito é exatamente este.

Quero lhe mostrar que todo nosso tabu sobre este tema, morte, é um equívoco, e que, na verdade, deveríamos mudar nossa perspectiva sobre este tema.

Principalmente se considerarmos que, aqueles que desejam evoluir em todos os aspectos da vida têm que aceitar a idéia de lidar com a morte. Em primeiro lugar, note que a primeira idéia que veio à sua mente diante da palavra morte foi a ausência de vida. Você pode ter pensado em hospital, caixão, velório, enterro, família chorando, etc...

Nossa cabeça já está tão condicionada a pensarmos negativamente diante da palavra morte, que imediatamente remetemos nossos pensamentos ao momento que definitivamente deixaremos este mundo. Mas, não estou, neste artigo, me referindo a esta morte. Sim, existem outros tipos de morte.

E pasme: precisamos morrer todo dia.

É isso mesmo.

A morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação. Não existe planta sem a morte da semente. Não existe embrião sem a morte do óvulo e do esperma. Não existe borboleta sem a morte da lagarta.

Eu sei que você pode estar pensando: "Ah, mas isso é óbvio!".

Ora se é óbvio, porque então a palavra morte causa lhe tanto desconforto?

A morte nada mais é do que o ponto de partida para o início de algo novo, de um novo estágio. É a fronteira entre o passado e futuro. Se você começar a pensar dentro dessa perspectiva, verá que poderá mais facilmente buscá-la. É isso mesmo. Defendo que nossa relação com a morte deve ser tão harmônica, a ponto de buscarmos morrer vários aspectos de nosso ser, para que, só assim, possamos alcançar estágios mais evoluídos em nosso desenvolvimento.

Vamos a exemplos:

Quer ser um bom universitário?

Mate dentro de você o secundarista aéreo que pensa que ainda existe muito tempo pela frente, e que pensar sobre o futuro é algo que deve ser feito só no futuro!

Quer ser um excepcional profissional?

Mate dentro de você o universitário descomprometido e avesso às responsabilidades, que acha que a vida se resume a estudar só para fazer provas e entregar trabalhos!

Quer ser um excelente esposo, ou esposa?

Mate dentro de você o solteiro "solto", que pensa poder fazer planos sozinhos, sem ter que dividir espaço, projetos e tempo com mais ninguém!

Quer ser um bem sucedido líder?

Mate dentro de você o subordinado egoísta que pensa que o mundo gira em seu redor, e que os que estão acima devem ser servidos, ao invés de servir! Enfim, todo processo de evolução exige que matemos o nosso "eu" passado, inferior. E qual o risco de não agirmos assim?

O risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo nosso foco, comprometendo nossa produtividade e, por fim, prejudicando nosso sucesso! Muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que eram, ao invés de se projetarem para o que serão ou desejam ser.

Elas querem o novo posto, o novo degrau, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam. E acabam se transformando em projetos inacabados, híbridos, adultos infantilizados.

Paulo nos deixou uma bela lição em sua 1a. carta aos Coríntios, no capítulo 13, versículo 11:

"Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino".

Ou seja, podemos até agir, às vezes, como meninos, de tal forma que não matemos virtudes da criança e que também são necessários a nós, adultos, como: brincadeira, sorriso fácil, vitalidade, criatividade, etc.. Mas, se quisermos ser adultos, devemos necessariamente matar pensamento infantil, para passarmos a pensar como adultos.

Que ser alguém (profissional, pai ou mãe, cidadão ou cidadão, amigo ou amiga) melhor e mais evoluído? Então, o que você precisa matar em você ainda hoje, para que nasça o ser que você tanto deseja ser?

 

Pense nisso, e morra!

 

Mas, não esqueça de nascer melhor ainda!